Uma lua de inverno

Uma lua de inverno

quarta-feira, janeiro 12, 2011

Para uma cidade que sobrevive apesar de...


Hoje minha cidade comemora anos. Penso que se Belém pudesse recitar, talvez os versos de F. Pessoa (Álvaro de Campos) no maravilhoso "Aniversário" traduzissem o que sente essa senhora maltratada.
Daqui, de longe, o contra-ambiente revela ainda mais minha ambiguidade em relação a uma cidade onde vivi e sonhei. Contudo, para além da nostalgia, não consigo deixar de pensar que é possível, sim, uma Belém para todos. Onde a história a ser preservada e o novo que convém convivam em paz. Uma metrópole que leve o mínimo de conforto aos que nela moram e a tolerância seja mais do que simples retórica.
Um lugar onde a cota parte de cada um revele cuidado e amor. Envolvimento o suficiente para no mínimo escolher bem quem é/será o fiel depositário por quatro anos (ou oito) de Santa Maria de Belém do Grão Pará.
Registrei essa foto, de um velho casarão na 3ª rua de Icoaraci, cujo esplendor do final dos anos 1960 eu presenciei e que hoje se mostra assim. Essa imagem traduz um pouco como vejo a minha Belém. Entretanto, não é nada, mas nada mesmo do que boa a vontade, a inteligência, a competência, o amor e a honestidade não trouxessem de volta o belo, o antigo e o novo. De todos e para todos.
A nós belemenses, de longe e de perto, parabéns pela esperança - que mesmo tímida guardamos dentro de nós.
Saudades!

2 comentários:

Luciana kellen disse...

Olá professora!
Sinta-se abraçada por uma conterranea!
Que meu abraço transmita o calor peculiar de quem mora na Belém de cá! E os desejos de um futuro mais prospero a nossa qrida Belém!

Ana Lucia Prado disse...

Oi Lu,
Senti esse abraço carinhoso e saudoso.
Um bjo